Verdades Ocultas trata-se de um fórum voltado a ocultismo, espiritualismo, simbolismo, teoria da conspiração, assuntos paranormais e cultura pop!
 
InícioCalendárioGaleriaFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seLogin
Compartilhe | 
 

 Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
AutorMensagem
Magane
interessado
interessado


Mensagens: 53
Pontos: 65
Data de inscrição: 06/10/2011

MensagemAssunto: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Sex Out 14, 2011 11:38 pm

Presente em várias vertentes do cristianismo, assim como parte dela ao judaismo, a Bíblia, um dos livros( senão "o") mais antigos do mundo.
Várias pessoas o possuem e é um dos livros mais vendidos do mundo, vários pastores e padres se utilizam de suas palavras para deixar pessoas presas a cada dia mais em uma monotonia vivencial, e por varias vezes acaba afastando os jovens de Deus.

Em muitos casos o jovem sempre quer conhecer, entender, porém devido a visão de vários homens "ungidos" os jovens acreditam que seu lugar não está garantido ao lado de Deus.

Quando eu era jovem sempre tinha problemas com todas as religiões, então decidi não estudar nada referente a nada, porém um determinado dia decidi ler o livro, e descobri que se tratava de uma das coisas mais legais que eu já vi:

HAvia guerras, confrontos, escolhidos, grandes jornadas, desafios,muito sangue...

Enfim...

aqui decidi fazer um estudo de forma mais simples sobre as passagens, afinal muitas vezes vc acaba lendo lendo lendo e não entende nada, auqi voce tera uma visão diferente.


Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Magane
interessado
interessado


Mensagens: 53
Pontos: 65
Data de inscrição: 06/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Sex Out 14, 2011 6:39 pm

Primeiro vamos fazer um catado de todos os personagens(pelo menos os que eu me lembro, conforme for passando coloco mais algumas coisas:

PERSONAGENS BÍBLICOS (ANTIGO TESTAMENTO)
A

Aarão (Bíblia)
Aasbai
Aasvero
Abda
Abdão
Abednego
Abel
Abias
Abias de Judá
Abiathar
Abida (filho de Midiã)
Abiezer
Abigail (Bíblia)
Abimeleque
Abisag
Abisai
Abiú
Nadabe (filho de Aarão)
Abner
Abraão
Absalão
Acabe
Acaz
Acsa
Ada (Bíblia)
Adão e Eva
Seth (Santo Patriarca)
Adonias (Filho de Davi)
Agar (Bíblia)
Ageu
Aitofel
Almodá
Amaleque
Amasa
Amassias
Amazias
Aminadabe
Amitai
Amom
Amós
Ana (mãe de Samuel)
Anamim
Anrafel
Anrão
Aolibama
Aram
Arba (Bíblia)
Arioque
Arpachade
Asa (rei de Judá)
Asafe
Aser
Aspenaz
Asquenaz
Assur (filho de Sem)
Atália
Ausate
Azarias (profeta)
Azenate
B

Baal
Baasa
Balaque
Balaão
Baruque
Basemate
Bate-Seba
Beeri
Belsam
Beltessazar
Ben Ami
Bene-Hadade
Benjamim (Bíblia)
Beor (Bíblia)
Bera (Bíblia)
Besaliel
Betuel
Bila
Bildade
Boaz
Bruxa de Endor
C

Caftorim
Caim
Caim e Abel
Cainan
Caleb
Cam
Canaã
Canaã (filho de Cam)
Casluim
Coré
Cush
D


Dalila
Daniel (profeta)
David
Dedã
Diná
Disom (Bíblia)
Dodanim
Débora (Gênesis)
Débora (juíza)
E

Ebal (Bíblia)
Éber
Efer
Efraim
Efrom (Bíblia)
Efá
Eglom
El-Hanã
Elá
Elcana
Eleazar (II Macabeus)
Eleazar (sumo sacerdote)
Eli (juiz de Israel)
Eliabe
Elias (profeta)
Elifaz (filho de Esaú)
Elifaz (livro de Jó)
Elisama
Eliseba
Eliseu
Elisá
Eliézer (filho de Moisés)
Elom
Enaque
Enaquins
Enoque (antepassado de Noé)
Enoque (filho de Caim)
Enos
Er (Bíblia)
Esarhaddon
Esaú
Esaú e Jacó
Esdras
Eser
Esrom
Ester
Etbaal
Ezequias
Eúde






F

Ficol
G

Gaal
Gade
Gaetã
Geter
Gideão
Gileade (Bíblia)
Golias
Górgias (general)
Gérson (personagem bíblico)
H

Habazinias
Hadade (Bíblia)
Hadorão
Hamor
Hamã
Hanâni
Harã
Havilá
Hazael
Hazarmavé
Hebrom (filho de Coate)
Hefzibá
Hemã
Hete
Hirão
Hulda
Hur
I

Irad
Isaac
Isaías
Isboset
Iscá
Ismael
Ismaelitas
Issacar
Itamar (filho de Aarão)
J

Jabal
Jacó
Jafé
Jalão
Javan
Jazanias
Jeconias
Jedida
Jefté
Jeremias (Bíblia)
Jeremias (profeta)
Jeroboão I
Jeroboão II
Jeroão
Jerá
Jessé
Jetro
Jeú
Jezabel
Jeús
Jisbaque
Joabe
Joacaz de Israel
Joacaz de Judá
Joaquim (rei de Judá)
Joás de Israel
Jobabe
Jocsã
Joctan
Jonadabe
Jonas (profeta)
Joquebede
Jorão de Israel
Jorão de Judá
Josafat
José (filho de Jacob)
Josias
Josué
Josué (sacerdote)
Jotão
Jotão de Judá
Joás de Judá
Jubal
Judite (bíblia hebraica)
Judá (filho de Jacó)
Jumenta de Balaão

Jónatas
L



Labão
Lameque
Lameque (descendente de Caim)
Lami
Lea
Leabim
Lemuel
Levi

Lúcifer
Lud
Ludim
M

Maaca
Maalate
Madai
Magog
Mahalalel
Manaate
Manassés (patriarca tribal)
Manassés de Judá
Maquir
Matusalém
Medã
Mefibosete
Melquisedeque
Mesech
Mesulemete
Metusael
Meujael
Micaia
Mical
Midiã
Miqueias
Miquéias (profeta)
Miriã
Mizraim
Mizá
Moisés
Mordecai




N

Naamá
Naasom
Naassom
Nabot
Nadab de Israel
Nafis
Naftali
Nahor
Naomi (Bíblia)
Natã
Naum (profeta)
Nebaiote
Nebate
Nefilim
Nimrod (rei)
Noé
Num
O

Obadias
Obed
Ocozias de Israel
Ocozias de Judá
Odede
Ofir
Ogue
Omar (Bíblia)
Omri
Onã
Orebe
Oseias
Otniel
P

Paarai
Paltiel
Patrusim
Pelegue
Penina
Perez
Personagens bíblicos
Predefinição:Personagens bíblicos AT
Potifar
Pute
Q

Quedorlaomer
Quenan
Quenaz
Quetura
Quis
Quitim
Quézia
R

Raabe
Raamá
Raquel
Rebeca
Recabe
Reú
Rifate
Roboão
Livro de Rute
Rúben
S

Sadraque
Salmom
Salomão
Salum
Samá, valente de Davi
Sambalate
Samuel (Bíblia)
Sangar
Sansão (Bíblia)
Sara (Bíblia)
Saul (rei)
Selatiel
Selefe
Selá (personagem bíblico)
Sem
Senaquerib
Serugue
Sete (Bíblia)
Simeão (filho de Jacob)
Sua
Sulamita
T

Tamar
Tema (Bíblia)
Temã (Edom)
Terá
Tidal
Tiglate-Pileser III
Timna (Bíblia)
Tiras
Togarma
Tribo de Benjamim
Tribo de Dã
Tribo de Gade
Tribo de Issacar
Tribo de Judá
Tribo de Manassés
Tribo de Naftali
Tubal
Tubalcaim
Társis
U

Urias
Uz (Bíblia)
Uzal
Uzias
Z

Zacarias (profeta)
Zacarias (rei)
Zebulom
Zedequias
Zeebe
Zefô
Zelofeade
Zeruia
Zeruá
Zerá
Zilpa
Zilá
Zimri
Zinrã
Zípora
Zofar
Zorobabel






Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Magane
interessado
interessado


Mensagens: 53
Pontos: 65
Data de inscrição: 06/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Sex Out 14, 2011 6:42 pm

ADÃO E EVA









Segundo a Bíblia e o Alcorão , Adão e Eva foram o primeiro casal criado por Deus. Adão (do hebraico אדם relacionado tanto a adamá, solo vermelho ou do barro vermelho, quanto a adom, "vermelho", e dam "sangue") é considerado dentro da tradição judaico-cristã e islâmica como o primeiro ser humano, uma nova espécie criada diretamente por Deus. Teria sido criado a partir da terra à imagem e semelhança de Deus para domínio sobre a criação terrestre.


Tal como Adão, Eva também foi criada diretamente por Deus da costela de Adão. Algumas pessoas consideram que a palavra tsella foi erradamente traduzida por costela.[4] O nome Eva deriva do hebraico hav.váh, que significa "vivente", e teria sido dado pelo próprio Adão. No grego, é vertido por zoé, que significa "vida", e não bios.


Eva, e mais tarde Adão, teriam comido o fruto proibido da árvore da ciência (do "conhecimento do bem e do mal") criada por Deus, e após o ocorrido, de acordo com a tradição cristã toda a humanidade ficou privada da perfeição e da perspectiva de vida infindável. Surgiria para os cristãos aqui a noção de pecado herdado - tendência inata de pecar - e a necessidade de um resgate da humanidade condenada à morte. Após comerem do fruto proibido, Adão e Eva tiveram ciência de que andavam nus e, por isso, esconderam-se ao notar a presença de Deus no Jardim do Éden. Deus os expulsou do jardim do Éden, e os deu roupas de pele animal.


Adão e Eva foram pais de Caim, Abel, Sete, e mais outros filhos e filhas. Segundo Gênesis 5:5, Adão teria vivido 930 anos, alcançando até Lameque, pai de Noé, a oitava geração de sua descendência.


Visão judaica


De acordo com a visão rabínica, o homem, ao ser criado à imagem e semelhança de Deus, estaria sendo assim um microcosmo das forças da criação, argumento do qual se ocupa maior parte da Cabala. Para Maimônides, apenas o homem apresenta livre-arbítrio um atributo considerado divino. Rashi explica que a imagem e semelhança trata-se de um arquétipo conceitual, modelo ou plano que Deus teria feito para o homem e incorporado no que é chamado de homem primordial Adam Kadmon.


Visão cristã


A Igreja Católica, assim como muitas outras religiões chamadas cristãs, condena o poligenismo, ou seja, que teriam existido vários casais humanos que deram origem a todo o resto da humanidade. A Igreja não condena, entretanto, a teoria da evolução, pois a forma com que surgiu a matéria corpórea não faz parte do depósito de fé da Igreja. A Igreja deixa aberta esta discussão, segundo a Carta Encíclica Humanis Generis, desde que o fiel creia que em algum momento Deus concedeu ao homem uma alma, que o diferenciou dos outros animais. Ainda segundo a Carta Encíclica Humanis Generis, o poligenismo não está em discussão, visto que esta idéia não se harmoniza com a explicação do pecado original, que foi cometido por apenas um homem. Sendo assim, a Igreja ensina a todos os fiéis que Adão e Eva são verdadeiramente os únicos primeiros pais da humanidade, criados por Deus, a quem Ele concedeu uma alma, e que foram criados em estado de graça, mas que havendo o desejo de tornarem-se como o seu criador, pecaram por desobediência e foram destituídos da graça santificante, fazendo com que toda humanidade caísse. Esta graça, segundo o que ensina a Igreja Católica, foi concedida novamente através do Batismo estabelecido por Cristo.

Ainda há outras correntes cristãs, que acreditam numa leitura mais literal da Bíblia, e portanto também crêem na existência real dos personagens Adão e Eva, assim como mencionados no relato da criação
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
O Essencialista
interessado
interessado


Mensagens: 34
Pontos: 42
Data de inscrição: 24/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Seg Out 24, 2011 5:13 pm

Magane escreveu:
Presente em várias vertentes do cristianismo, assim como parte dela ao judaismo, a Bíblia, um dos livros( senão "o") mais antigos do mundo.
Várias pessoas o possuem e é um dos livros mais vendidos do mundo, vários pastores e padres se utilizam de suas palavras para deixar pessoas presas a cada dia mais em uma monotonia vivencial, e por varias vezes acaba afastando os jovens de Deus.

Em muitos casos o jovem sempre quer conhecer, entender, porém devido a visão de vários homens "ungidos" os jovens acreditam que seu lugar não está garantido ao lado de Deus.

Quando eu era jovem sempre tinha problemas com todas as religiões, então decidi não estudar nada referente a nada, porém um determinado dia decidi ler o livro, e descobri que se tratava de uma das coisas mais legais que eu já vi:

HAvia guerras, confrontos, escolhidos, grandes jornadas, desafios,muito sangue...

Enfim...

aqui decidi fazer um estudo de forma mais simples sobre as passagens, afinal muitas vezes vc acaba lendo lendo lendo e não entende nada, auqi voce tera uma visão diferente.




vamos la...

a Biblia nao é o livro mais antigo,existem mais antigos, um exemplo é o conhecimentos dos Mayas que escreveram em pedras antes do papel,e e mesmo no egito, na epoca da biblia ja existia papel se bem que os 10 testamentos fora feito em pedra, mas concordo em dizer o mais vendido pois, sua propaganda é vasta e seu marketing mundial, mas é só isso.

Um livro de Grande referencia para uns, mas para mim é epenas mais 1 livro de referencia, respeito os ensinamentos do Aavatar Jesus, assim como o Aavatar Sidartha Galtama ( buda ), que tambem foi um grande Aavatar.

Conhecedores ambos de grandes verdades, mas que fora distorcido os de jesus a modo de dar lucro ao vaticano, muitas veses empregados seus artificius a força pela sociedade de leopoldo ( a Inquisição ) saindo dos proprios ensinamentos daquele cuja o qual diziam defender.

e mesmo dentro do proprio conceito, o Deus do primeiro testamento ou velho testamento nao é o mesmo do segundo.

alem de outros fatores em partes removidas da biblia no tratado de Roma e Vaticano e se adentrar esta questao ..citarei o maleus malefication ( martelo das bruxas ) e seus testes e garanto, que qualquer pessoa pode ser conciderado tau, movido pelo demonio "BLA BLA BLA"...e assim queimado na fogueira e seus bens ficando em maos inquisitora.

mas isso é questao de grande debate e neste momento eu nao posso, tenho de sair da net, porem voltarei a este topico em breve.

Interessante como alguem dentro do mesmo livro pode ser citado de formas diferentes e mesmo conflitantes.

eu volto aqui..
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Magane
interessado
interessado


Mensagens: 53
Pontos: 65
Data de inscrição: 06/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Seg Out 24, 2011 6:50 pm

PArece que temos mais um participante de personalidade forte, isto é muito bom, gostaria de deixar aqui também um pedido, estou emio sem tempo, mas ando pesquisando a respeito da queda de L´cifer, que em minhas pesquisas, demonstram-se como acontecendo ANTES de Geneses bíblico.

Alguém se habilita a desenvolver este assunto?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
O Essencialista
interessado
interessado


Mensagens: 34
Pontos: 42
Data de inscrição: 24/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Ter Out 25, 2011 10:39 am

Magane escreveu:
PArece que temos mais um participante de personalidade forte, isto é muito bom, gostaria de deixar aqui também um pedido, estou emio sem tempo, mas ando pesquisando a respeito da queda de L´cifer, que em minhas pesquisas, demonstram-se como acontecendo ANTES de Geneses bíblico.

Alguém se habilita a desenvolver este assunto?


vejamos se isso ajuda a exclarecer vossas mentes..
se alguns tambem assim como eu começe a ver alem dos bonecos do circo de fantoches feito pela Igreja para lucrar..






Lúcifer é uma palavra latina que significa "portador da luz" (Vem do latim, lux, lucis = luz; ferre = carregar) cuja correspondente em grego é "phosphoros", significa "o portador do archote" ou "o portador da luz", sendo ele mesmo, como indica o seu nome, aquele que traz a luz onde ela se faz necessária.

Além disso, Lúcifer foi um nome dado pelos latinos ao planeta Vênus. (Nesta acepção leva inicial maiúscula.) Todos sabem que Vênus, por sua proximidade ao sol, "aparece" quando este se encontra ao horizonte, durante os crepúsculos, seja esse matutino ou vespertino. Dai ele ser conhecido como a estrela da manhã, e também a estrela vespertina. Durante o amanhecer, a "estrela" Vênus aparece ao horizonte antes do "nascimento" do sol. Na observação dos antigos, é como se fizesse o papel de arauto do sol, puxando o astro rei de seu sono nas regiões abissais. Ele, nas manhãs, anunciava a chegada do sol, como se o carregasse. No entardecer, Vênus "empurrava" o Sol de volta para as regiões obscuras. Dai se dizer que Vênus ou Lúcifer, estrela da manhã "porta" o archote, ou, o sol... Esta é a razão pela qual um dos primeiros papas foi chamado de Lúcifer, como provam Yonge e registros eclesiásticos. (O termo "Lúcifer" não aparece no Novo Testamento como nome de demônio).


Em Apocalipse 22:16 está escrito: "Eu, Jesus, ... Eu sou a raiz e o descendente de Davi, sou a estrela radiosa da manha." — Isso abre uma discussão interessante pois se o próprio Jesus se auto denominou a estrela radiosa da manhã, que também é Lúcifer, este nome não deveria ter sido associado ao mal de forma alguma! — Houve também um Bispo chamado Lúcifer, de Cagliari, na Sicília, de 370 a 371, que montou uma doutrina contrária a todo e qualquer contato com os idólatras.


Posteriormente, para combater e substituir a versão aceita corrente dos Livros de Enoch para a "quedados anjos", Tomás de Aquino entre outros, criaram uma segunda versão, tomando a decisão infeliz de transformar a palavra num epíteto do demônio. Helena Blavatsk, escreveu uma crítica na introdução da revista "Lúcifer" [Vol. I, No 1, Setembro, 1887] informando que "foi Gregório Magno quem aplicou pela primeira vez a seguinte passagem de Isaías, 'Como caíste do céu, ó Lúcifer, filho da manhã', etc. à Satã e, desde então, a ousada metáfora do profeta, que se referia, afinal, a um rei assírio inimigo dos israelitas, tem sido aplicada ao Diabo". Já outros atribuem essa tradição como tendo se originado com uma interpretação — bastante forçosa — de Orígenes de algumas passagens Bíblicas.


Falando a respeito do poder dado aos discípulos, para lutarem contra o poder do Inimigo, Cristo disse: "Eu vi Satanás cair do céu como um relâmpago!" (Lucas 10, 18). No Apocalipse 9, uma estrela cai do céu sobre a Terra e se transforma em Apollyon, o anjo do poço do abismo. Obviamente, ambos se referiam metaforicamente a humanos usando uma analogia de passagens da condenação dos anjos, liderados por Semjazah, em Enoch. Entretanto, estas palavras foram interpretadas por Orígenes, e depois pelos Padres da Igreja, como referências a um capítulo do Livro de Isaías no qual Yaveh protege seu povo destruindo o orgulho de seu inimigo. (O nome de "Estrela d'alva", ou Lúcifer, foi interpretado por Orígines como sendo o nome de Satanás antes de sua queda do Paraíso. Segundo ele, Lúcifer e seus anjos caíram por sua própria escolha. Seu motivo teria sido o orgulho, representado pela tentativa de se equipararem a Deus. Desejavam colocar sua própria vontade no lugar da vontade de Deus. E isto era considerado como a base do pecado em todos os níveis. Aos poucos, estas idéias começaram a se transformar na base dos ensinamentos tradicionais sobre o Diabo). Trata-se de uma interpretação errônea do seguinte trecho de Isaías que fala da "morte do rei da Babilônia" Nabucodonosor (Nebukadneççar em hebraico), que recebeu a maldição suprema da privação da sepultura:


"Como caíste do céu, ó estrela dálva, filho da aurora!
Como foste atirado à terra, vencedor da nações!
E, no entanto, dizias no teu coração:
'Hei de subir até o céu, acima das estrelas de Deus colocarei o meu trono, estabelecer-me-ei na montanha da Assembléia, nos confins do norte.
Subirei acima das nuvens, tornar-me-ei semelhante ao Altíssimo.'
E, contudo foste precipitado ao Xeol, nas profundezas do abismo".
Os que te vêem fitam os olhos em ti, e te observam com toda atenção, perguntando:
"Porventura é este o homem que fazia tremer a terra, que abalava reinos?"

(Isaías 14, 12-15)


Segundo estudiosos da Bíblia, a expressão usada no texto "ó estrela d'alva, filho da aurora!" parece inspirar-se num modelo fenício. Em todo caso, eles apresentaram vários pontos de contato com os poemas de Râs-Shamra: a estrela d'alva e a aurora são duas figuras divinas; a montanha da assembléia é aquela em que os deuses se reuniam, como no Olimpo dos gregos. Posteriormente, os padres interpretaram a queda da estrela d'alva (Vulg., "Lúcifer") como a do príncipe dos demônios.


Daí em diante a história se arrastou acumulando erro após erro. Como já era de se esperar, não seria tão simples sepultar Enoch. Muitos aceitaram a nova versão da "queda dos anjos" mas não esqueceram a antiga e, logo, as interações culturais cuidaram de unir ambas. Relações sexuais de anjos com humanos saíram de um passado longínquo de Enoch e passaram para o "tempo presente". Falava-se de Íncubos e Succubos; Então, como o novo objetivo do lado negro seria tomar o trono de Deus, nada mais prático do que criar um novo messias. Assim, já nos primeiros tempos da cristandade, a profetiza Sibila Tiburtina, previa a chegada do Anticristo — que seria de origem judia. Entretanto, Santa Hildegarda foi a primeira a dizer que ele seria filho de "um demônio disfarçado de anjo de luz". Diz ela:


"O filho de perdição que reinará pouco tempo, virá ao anoitecer da duração do mundo, no tempo correspondente a esse momento em que o sol desapareceu já no horizonte, isto é, que virá nos últimos dias. Armai-vos com tempo, e preparai-vos para o mais terrível de todos os combates. Após haver passado uma juventude libertina no meio de homens muito perversos e num deserto onde haverá sido conduzido por um demônio disfarçado de anjo de luz, a mãe do filho de perdição o conceberá e o alumiará sem conhecer seu pai. O filho de perdição é essa besta muito malvada', que fará morrer os que recusam crer nele...

Quando o filho de perdição tiver levado a cabo todos os seus propósitos, reunirá todos os crentes e lhes dirá que quer subir ao céu. No momento dessa ascensão, um raio lhe ferirá, matando-o. Por outro lado, a montanha na qual se terá estabelecido para proceder à sua ascensão, será coberta no mesmo instante por uma nuvem que propagará um cheiro de podre horrível e infernal."


Ainda no século V, Dante Alighieri apresentava o quadro mais falso, famoso e hediondo que o mundo já conheceu:

"O imperador do reino doloroso erguia o peito para fora da geleira. Eu, com minha estatura, mais próximo estou de um gigante do que um gigante comparado com o braço, apenas, de Lúcifer. Imagina pois, leitor, quão grande será Lúcifer, se calculado pelo tamanho de seus braços. Se um dia foi belo, quanto é hoje horrendo; se contra seu Criador alçou a fronte, bem entendo seja ele a fonte única do mal que o mundo inteiro chora.

Nem sei como diga a estupefação que em mim causou o haver-me aparecido de três faces era sua cabeça. Era vermelha (a indicar o ódio que o move) a face que eu via de frente; as outras duas repousam, cada uma, sobre largo ombro, mas lá em cima, no alto crânio, formavam três um só conjunto. A face da direita estava entre o branco e o amarelo; a da esquerda lembrava a cor que amorena a gente nascida e afeita à terra onde o Nilo tem seu curso. Sob cada face, duas asas vastas quando convém a um ser de modo volátil e mau.

Velas tão grandes não vi jamais em nau de alto mar. Não tinham penas, e mais lembravam aquelas asas próprias dos morcegos. Continuamente agitadas, produziam os três ventos gélidos / que mantém o Cócito enregelado. Pelos seis olhos, chorava; por três peitos escorriam suas lágrimas, pranto feito de sangue e espuma. Em cada boca triturava um pecador, qual moinho a esmagar o grão. Ao condenado que na boca fronteira a mim atormentava, acrescentava-se um outro sofrimento, pois com as garras, em fúria constante, Lúcifer por inteiro lhe arrancava a pele."

ternidade de suplícios, bastante belo para ter podido adornar-se em plena luz divina; bastante forte para reinar ainda nas trevas e na dor e para construir um trono com sua inextinguível fogueira."

(ALIGHIERI, Dante. A divina comédia. S. Paulo: Cultrix, 1965, p. 121, vv. 28-60)

Inúmeros inquisidores, artistas, etc. propagaram pelos séculos esta desmerecida "má fama", juntando horrores após horrores num "efeito bola de neve", que aglomerava e crescia com todo tipo de disparates, frutos do medo dos condenados e da demência humana. Provavelmente, dos autores mais recentes, o que mais influenciou a imaginação humana foi Milton, com sua cultuada obra "O Paraíso Perdido":


"Fere-lhes com tais modos os ouvidos:
Dominações, virtudes, principados,
Tronos, poderes, se são vossos inda
Estes imensos títulos pomposos,
Se acaso inda não são nomes inúteis:

Há quem, por um tirânico decreto,
Todo o poder a si vem arrogar-se
Fazendo dele horrível monopólio,
E, sob o nome de monarca ungido,
Eclipsa nossa glória e privilégios.

Toda esta marcha rápida, noturna,
Esta convocação acelerada,
Promove-as ele, a fim de vermos como,
Com que pompas nos cumpra recebê-lo
Quando vier extorquir de nós - escravos !-
Tributo genuflexo agora imposto,
Vil prostração, que feita ante um já cansa,
Que feita a dois se torna insuportável!

E não pode outro arbítrio mais sisudo
Dar-nos mais elevados pensamentos,
Que a sacudir tal jugo nos ensinem?
Curvareis vosso colo majestoso ?
Súplice joelho dobrareis humildes ?
Decerto o não fareis, se não me engano,

Que vosso jus por vós é conhecido:
Bem sabeis que no Céu nascidos fostes,
No Céu antes de vós nunca habitado;
E, se ente vós não sois iguais de todo,
Iguais contudo sois na liberdade:
As várias gradações, as jerarquias
Da liberdade os forros não estragam,
Antes maior firmeza lhes transmitem.

Quer dentre iguais na liberdade pode
Por direito ou razão alçar um cetro
Sobre consórcios seus, posto mostraram
Menor poder em si, menos fulgores?

Não temos leis e nem por isso erramos;
E quem tais leis impor-nos pode ou deve ?
Ninguém pois pode ser monarca nosso,
Nem de nós exigir tão vil tributo
Em desprezo dos títulos excelsos,
Que atestam destinada nossa essência
Para ser dominante e não escrava."

(MILTON, John. O paraíso perdido. Trad. de Antônio José de Lima Leitão. S. Paulo: Logos, p. 261-2)


O mal esta feito, o erro divulgado. "É o falso Lúcifer da legenda heterodoxa; é este anjo altivo para julgar-se Deus, bastante corajoso para comprar a independência a custo de uma eternidade de suplícios, bastante belo para ter podido adornar-se em plena luz divina; bastante forte para reinar ainda nas trevas e na dor e para construir um trono com sua inextinguível fogueira."

(LÉVI, Éliphas, História da Magia, S. Paulo, Pensamento, p. 29
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Flammus
Admin


Mensagens: 117
Pontos: 174
Data de inscrição: 05/10/2011
Localização: Planices do Éden

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Ter Out 25, 2011 4:28 pm

Como ia ficar grande demais pra citar e ficaria eu com preguiça, a discussão quanto a ser Jesus e Lúcifer a mesma pessoa, eh um dos motivos pelo qual considero o novo testamento falso em muitos aspectos, acredito até mesmo que foi elaborada uma mentira para um grande estrago futuro....


RELAX



Eu preciso achar um texto antigo que eu possuia sobre o dito cujo ai, e tambem teria que explicar umas outras coisas ocultas que muitas pessoas naum tem acesso, por isso por enquanto e até eu achar o texto ficarei longe deste tópico para postar, mas virei em breve passar algumas noções próprias...

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://verdadesocultas.forumeiros.com
O Essencialista
interessado
interessado


Mensagens: 34
Pontos: 42
Data de inscrição: 24/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Qui Out 27, 2011 11:27 am

bem eu aqui passei algo que pude, mas dentro do que aprend em textos de antes de roma diz sim...que jesus e lucifer sao um só.

porem neste aspecto eu nao posso mostrar o que tive acesso ( proibido ) mas fica aqui minha nota para que alguns pense... se quiser é claro.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Magane
interessado
interessado


Mensagens: 53
Pontos: 65
Data de inscrição: 06/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Qui Out 27, 2011 8:13 pm

O assunto parece que vai render, acho que o Flammus vai tocar "no assunto" eu e ele através de mensagens já conversamos sobre isso, tenho certeza que deixara muitos espantados, quanto a citação de Jesus e Lúcifer serem a mesma pessoa vai cair também nesta explicação, isso é, se for realmente o assunto que eu acho que seja.

Não achei que ele iria falar tão cedo do assunto...



Café

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
O Essencialista
interessado
interessado


Mensagens: 34
Pontos: 42
Data de inscrição: 24/10/2011

MensagemAssunto: Re: Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia   Sab Out 29, 2011 2:48 pm

Magane escreveu:
O assunto parece que vai render, acho que o Flammus vai tocar "no assunto" eu e ele através de mensagens já conversamos sobre isso, tenho certeza que deixara muitos espantados, quanto a citação de Jesus e Lúcifer serem a mesma pessoa vai cair também nesta explicação, isso é, se for realmente o assunto que eu acho que seja.

Não achei que ele iria falar tão cedo do assunto...



Café



este assunto para muitos sao conciderados Tabus..
pois sao deste cedo ensinados a seguir algo, em nao se pensar e so fazer, coisa que magista nenhum faz...pensamos...agimos...fazemos...e nao é bem o que eles querem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
 

Estudos sobre um assunto chato. A Bíblia

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 1 de 1

 Tópicos similares

-
»  — Estudos sobre a coincidência e a terminocracia
» Estudos e Técnicas de Grupos
» Sobre atendimento
» Sobre a guild
» Sobre a AscensioN

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
Verdades Ocultas ::  ::  :: -